Ddiarte

Ddiarte 00

source: obviousmagorg

O projecto DDiarte nasceu de duas vontades: a de Diamantino Jesus (1969) e José Diogo (1966), naturais da Ilha da Madeira. O primeiro, apaixonado pela pintura e pelo desenho, licenciou-se em Arte e Design, e passou dois anos a estudar restauro, em Pamplona, Espanha. O segundo, além do talento para pintar e desenhar, sempre teve um enorme interesse por ciência e tecnologia, a que deu corpo com a licenciatura em Engenharia Química.
Em 1999 nasceu a DDiarte, inicialmente dedicada exclusivamente à pintura: realizaram algumas exposições colectivas e individuais e deixaram as suas marcas nos tectos de algumas igrejas. Em 2003, despertaram para a fotografia digital e, especialmente, para a manipulação digital das imagens. Desde então, estes dois inspiradíssimos e inspiradores autodidactas têm produzido obras de arte já reconhecidas mundialmente.
Move-os a paixão pela criação; pela materialização de uma história. Pelo caminho, numa busca hedonista pela perfeição, colocam o dedo bem no centro da indiferença e provocam as consciências mais distraídas. Acreditam que a arte nasce da combinação do sentimento, da vontade, da criatividade e da imaginação.

Para se descreverem, utilizam as palavras de Romaric Sulger Buel, curador de uma das suas exposições: “Os dois artistas, Diamantino Jesus e Zé Diogo, são notáveis herdeiros de um barroco europeu, no seu conjunto, e do barroco português, em particular. Nada do que se relaciona com a luz, a forma e o corpo humano lhes é estranho. Um barroco que ultrapassaria, sem dificuldade, todos os obstáculos do neoclassicismo, do impressionismo, do cubismo e da abstracção para chegar ainda pertinente e actual até nós. Estamos perante dois artistas que, com uma arte absoluta da composição, jogam com os espaços e os volumes; estamos perante dois artistas que, instrumentalizando a técnica, jogam com as cores e os claros-escuros.”
No leque dos projectos a concretizar nos próximos tempos estão a finalização de dezenas de obras que têm em mãos – muitas delas relacionadas com o meio ambiente e a sua degradação – para, depois, começar algo novo, inspirados numa corrente artística do passado e adaptando-a à realidade actual.

Nos sonhos que se atrevem a sonhar guardam a vontade de ver obras DDiArte em museus importantes, a nível mundial e, principalmente, ver a sua maior obra – iniciada há cerca de três anos e ainda inacabada – na parede de um museu muito conhecido mundialmente, cujo nome preferem, para já, não referir.
Ganharam já um grande número de prémios, entre os quais o “Award of Excellence” no European Newspaper Award (Londres, 2006) e o European Fine Art Photograph of the Year Award (2010), com a obra “Cupido’s Playground”. Viram ainda a sua obra “Outono” publicada na revista francesa PHOTO (2011), por ocasião da publicação das 500 melhores fotos da publicação.