JOACHIM SMETSCHKA

Instante
FILE FESTIVAL
Videoinstalação, loop de 24 minutos. Baseado em oito retratos fotográficos diferentes, este experimento de percepção visual consiste em 35.992 imagens intermediárias geradas sinteticamente, que são a matéria-prima deste “retrato de base temporal”. O retrato muda gradualmente no decorrer de 24 minutos, negando ao espectador as possibilidades costumeiras de identificar e memorizar traços humanos individuais.

EVGENY KAZANTSEV

Evgeny Kazantsev é um artista russo. Trabalhando como ilustrador, diretor de arte e designer gráfico, ele desenvolve trabalhos em publicidade, ilustrações e artes conceituais. Evgeny Kazantsev cria ilustrações com um estilo realista, não raramente usando foto-manipulação digital (photoshop) para dar um ar ainda mais real às suas criações. Em duas séries de ilustrações desenvolvidas para uma companhia de seguros, o artista criou imagens que mostram duas facetas do que pode ser o nosso futuro, no melhor estilo ficção científica realista. Em “Past in the Future” (Passado no Futuro), Evgeny Kazantsev imagina como objetos e locais reais de nosso tempo irão se desenvolver no futuro, mostrando, por exemplo, como trens magnéticos voadores irão cortar os ares, como as megalópoles se desenvolverão, como o espaço será explorado para mineração, entre outros. É uma visão otimista do futuro, com toques de ficção científica baseadas na realidade.

AKATRE

Criativo, surreal, por vezes pretensioso e sempre bizarro, estas são algumas das mais relativas características que percebi no trabalho fotografista do francês Akatre. De tendências tão diretas quanto bem humoradas, a técnica de captação de imagens e situações empregada por Akatre misturam-se harmoniosamente entre a simplicidade e a criatividade, estas inerentes à imaginação do fotógrafo, artista plástico e web designer. Com um web site tão inovador em apresentação quanto a proposta do foto ensaio aqui em divulgação, Akatre firmou-se na comunidade artística européia como um ícone em vanguardismo. Sempre presente nos mais influentes meios de divulgação de artes, o francês se faz constante com propostas contemporâneas acondicionadas ao propor à quebra de rotinas e paradigmas de senso comum.

KAWS

Chum

A carreira de KAWS começou como grafiteiro em Nova York, NY, no início dos anos 1990. Suas imagens foram vistas em outdoors, pontos de ônibus e cabines telefônicas. Ele obteve seu BFA da School of Visual Arts de Nova York. Imediatamente após a formatura em 1996, KAWS começou a trabalhar como artista freelance para a Disney, criando fundos animados. Algumas de suas obras mais populares incluem suas contribuições para 101 Dalmations, Daria e Doug. Assim que o KAWS começou a ganhar popularidade, seus anúncios de graffiti tornaram-se muito procurados. Ele viajou extensivamente para trabalhar em Paris, Londres, Alemanha e Japão. Em 1998, recebeu o Prêmio Pernod de Arte Líquida, que oferece uma bolsa para novos artistas.

Jan Nikolai Nelles and Nora Al-Badri

Imagens 3D do Busto de Nefertiti
Anos atrás, um escandaloso “roubo de arte” no Neues Museum em Berlim – envolvendo digitalizações 3D do busto de Nefertiti feitas ilegalmente – acabou sendo um tipo diferente de crime. Os dois artistas egípcios que divulgaram os scans alegaram que fizeram as imagens com um “sensor Kinect hackeado”, relata Annalee Newitz da Ars Technica. Mas o artista digital e designer Cosmo Wenman descobriu que esses eram scans feitos pelo próprio Neues Museum, que haviam sido roubados pelos artistas ou talvez por um funcionário do museu.