SHU LEA CHEANG

Avatar do artista
“Para quem não a conhece, Shu Lea Cheang é uma figura da net art e do movimento ciberfeminista que surgiu na década de 1990. Na época, morando em Nova York, ela também era membro ativo do coletivo de vídeo ativista Paper Tiger Television (assim como a cineasta francesa Nathalie Magnan). Desde então, o trabalho de Cheang tem lidado com “questões que incluem sexo, futuro, gênero, ecologia, dinheiro, mídia e comida [para] englobar filme, instalação, trabalho online, processos sociais e intervenção direta nos sistemas sociopolítico, técnico e estético, e os imaginários que os compõem ”. Matthew Fuller

AES+F

Turandot

In passato, quando Pechino fu conquistata …
Molte donne, inclusa l’imperatrice, furono violentate
Nel 2070, Pechino è la capitale dell’Impero Globale,
dove la principessa Turandot ha stabilito un radicale,
matriarcato tecno-femminista

REBECCA HORN

ريبيكا هورن
רבקה הורן
レベッカ·ホルン
레베카 호른
РЕБЕККА ХОРН
Unicorn

La obra de la artista alemana Rebecca Horn tiene algo en común con el arte feminista norteamericano, algo, pero no todo. Lo suyo es una sensibilidad más europea, en el sentido de que está abierta a sutilezas y, sean cuales fueren sus referencias a las políticas del cuerpo, al humor. El trabajo de Horn es oblicuo, mágico e irónico y no tiene nada de ese tono de queja que hace de la obra de sus hermanas transatlánticas un lamento monótono.