FREDERIK HEYMAN

Formalidade Cerimonial
O trabalho de Frederik Heyman é um ato de equilíbrio que incorpora várias mídias – incluindo vídeo, instalações e fotografia – muitas vezes em um ambiente digitalmente alterado. Em seu trabalho, Heyman explora a memória e a duração, usando fotogrametria e digitalização 3D para retratar e representar a passagem do tempo. As marcas registradas do trabalho de Heyman são mecânicas e tecnológicas: fios, rodas, letreiros LED de rolagem, armações de metal, pinças, lâmpadas industriais, telas e câmeras. Corpos – ao contrário dos humanos – estão sujeitos a uma dinâmica incomum com essas armadilhas tecnológicas. Em Cerimonial Formality (2020), uma contorcionista está presa em uma gaiola de metal enquanto um espectador, preso a fios, observa.

.

Zeremonielle Formalität Frederik Heymans Arbeit ist ein Balanceakt, der mehrere Medien einbezieht – darunter Video, Installationen und Fotografie – oft in einer digital veränderten Umgebung. In seiner Arbeit erforscht Heyman Gedächtnis und Dauer, indem er Photogrammetrie und 3D-Digitalisierung verwendet, um den Lauf der Zeit darzustellen und darzustellen. Die Markenzeichen von Heymans Arbeit sind mechanisch und technologisch: Drähte, Räder, scrollende LED-Schilder, Metallrahmen, Pinzetten, Industrielampen, Bildschirme und Kameras. Körper unterliegen bei diesen technologischen Fallstricken – anders als der Mensch – einer ungewöhnlichen Dynamik. In Ceremonial Formality (2020) ist ein Schlangenmensch in einem Metallkäfig gefangen, während ein kabelgebundener Zuschauer zuschaut.

JEPPE HEIN

Gaiola e espelho
Uma enorme gaiola define o espaço da galeria e, embora seja feita de barras de ferro bruto, sua estrutura parece leve e aberta. As barras curvas delgadas oferecem vistas de dentro e de fora. As pessoas podem entrar na gaiola e contornar o enorme espelho pendurado no meio. Olhando para o espelho conforme ele gira quase imperceptivelmente, os espectadores são confrontados com uma perspectiva incomum ao seu redor que resulta do movimento da imagem no espelho.

Javier Weyler

This Mess Won’t Make Itself – Dead Seem Old
Dead Seem Old é um projeto de indie pop sedeado em Londres e da autoria do músico e compositor Thom Wicks[…] O resultado é uma peça de indie pop contemporâneo absolutamente memorável, que dos coros aos arranjos das cordas, irradia uma luz incomum e que merece uma audição dedicada.

Eric Klarenbeek, Designer of the unusual

Eye Jewellery

Eric Klarenbeek faz projetos especiais, ou digamos o incomum, para pessoas, projetos ou propósitos incomuns. Seu estúdio conecta criativos, designers, artesanato local e clientes, inventando novos projetos e produtos e acreditando que nosso mundo pode ser muito melhor, mais bonito e honesto. “Meu trabalho é caracterizado pela interação e inovação. Meus produtos podem estar em movimento, reagir à nossa presença ou responder aos desenvolvimentos em nossa sociedade. Busco novos significados e princípios nos objetos, por conexões inexploradas entre materiais, métodos de produção, fabricantes e usuários. Escala e aparelho são irrelevantes. Já projetei joias, mas também desenvolvi conceitos para conectar os turistas aos artesãos locais ”, diz Eric.