CHRISTOPH DE BOECK

Céu de aço
A topografia íntima do cérebro é disposta em uma grade de 80 placas de teto de aço. O visitante pode experimentar a dinâmica de seu eu cognitivo usando uma interface de EEG, que permite que ele caminhe sob a representação acústica de suas próprias ondas cerebrais. As ressonâncias acumuladas de chapas de aço geram tons penetrantes. A distribuição espacial do impacto e a sobreposição de reverberações criam um espaço sonoro físico para abrigar um fluxo intangível de consciência. ‘Staalhemel’ (‘céu de aço’, 2009) articula a relação contraditória que mantemos com nosso próprio sistema nervoso. O feedback neurológico faz com que o foco cognitivo seja repetidamente interrompido pela representação deste foco. O pensamento concentrado tenta se retratar em um espaço que é remodelado pensando-se quase a cada fração de segundo.

Sitraka Rakotoniaina

Time Conditioning
No seu projeto, tempo é reduzido a um parâmetro que pode ser modulável enquanto dissocia o cérebro do resto da experiência corporal. Em “Time Conditioning”, Raktoniaina cria uma prótese para treinar o braço a operar à velocidade de uma mosca. Enquanto isso supõe uma aceleração dos reflexos, o resultado é o oposto, e os neurônios musculares têm uma experiência em slow motion, fazendo com que corpo e mente experienciem o tempo em dois intervalos diferentes.

JOHNNY MNEMONIC

No filme Johnny Mnemonic, o diretor Robert Longo vai ao limite da ficção científica ao colocar um chip de prodigiosa memória no cérebro do personagem principal, representado por Keanu Reeves. O espectador fica com a nítida sensação de que num futuro próximo a informação estará disponível, transportada de um lugar a outro no cérebro de ciborgues mensageiros. O chip pode transportar uma quantidade quase infinita de dados plugando um pino no orifício de um implante eletrônico colocado bem na região occipital.
cinema full