Michael Hansmeyer

Digital Grotesque III
Em sua série “Digital Grotesque”, Hansmeyer fabrica espaços arquitetônicos com a ajuda de algoritmos personalizados de aprendizado de máquina. Esses espaços não são pensados ​​no sentido usual: o papel do artista era apenas colocar em movimento e supervisionar os processos digitais que levaram à sua criação. É uma estratégia que tem mais a ver com “gerar” espaço do que plotá-lo no papel ou usar um software CAD. Ao aproveitar algoritmos, o artista pode produzir estruturas com um grau de complexidade que rivaliza com o mundo natural.