MOVIEBARCODE

STAR TREK VI- THE UNDISCOVERED COUNTRY

source: amusingplanet

Movie Bar Code is based on a simple but amazing concept – take every frame in a movie and compress it into a line. Then put them next to each other and you get a barcode of the movie. Movie Bar Code is brilliant because it gives an interesting perspective into the color palette used by different movies.
.
.
.
.
.
.
.
source: bitaitesorg

Grandes clás­si­cos do ci­nema (e mui­tos ou­tros) com­pri­mi­dos numa es­pé­cie de có­digo de bar­ras re­pre­sen­tando as co­res e to­na­li­da­des pre­sen­tes em cada filme – é esta a ideia do cri­a­dor do blo­gue Movie BarCode.

O filme é to­tal­mente di­gi­ta­li­zado. Em cada frame é atri­buída uma cor: aquela que, em mé­dia, apa­rece mais nesse frame.

Os fra­mes são en­tão ali­nha­dos se­gundo a sequên­cia ori­gi­nal do filme, da es­querda para a di­reita, de cima para baixo.

Esta téc­nica não foi cri­ada no Movie BarCode, mas por Jason Salavon, pro­fes­sor as­sis­tente de Artes Visuais na Universidade de Chicago. Salavon aplicou-a em 2000 no filme Titanic e, um ano de­pois, num tra­ba­lho para a MTV: um top10 dos me­lho­res ví­deos de to­dos os tem­pos, como se pode ver nesta pá­gina. Salavon tam­bém di­gi­ta­li­zou vá­rios fil­mes usando o mesmo processo.

O au­tor do blo­gue Movie BarCode, en­tre­vis­tado pela Wired em Março do ano pas­sado, pre­fe­riu não re­ve­lar a sua identidade.

Explicou que o pro­cesso pode le­var vá­rias ho­ras a ob­ter e que a es­co­lha dos fil­mes a di­gi­ta­li­zar e di­vi­dir em fra­mes ver­ti­cais não é feita em fun­ção da qua­li­dade dos fil­mes mas do re­sul­tado vi­sual es­pe­rado. Por essa ra­zão, pre­fere fil­mes com pla­nos mais lon­gos – os de Stanley Kubrick ou Alfred Hitchcock, por exemplo